ESCOLA DE SAGRES

BEM-VINDO À ESCOLA DE SAGRES!

Este espaço tem como objetivo divulgar as ideias, projetos, iniciativas do pesquisador e consultor educacional João Malheiro, doutor em educação pela UFRJ e pesquisador do Grupo de Pesquisa sobre Ética na Educação (GPEE-UFRJ)



Pesquisar este blog

UM PROJETO PARA AS ESCOLAS

  



A formação das 
capacidades socioemocionais



Por que deste projeto
                As escolas estão percebendo cada vez mais que não basta oferecer aos seus alunos apenas uma formação técnica de qualidade se querem obter resultados satisfatórios no processo ensino-aprendizagem. É preciso investir também na formação do seu caráter para construir alunos maduros e capazes de enfrentar as dificuldades escolares com paciência, criatividade e confiança em si e nos outros. O mercado de trabalho está valorizando e buscando atualmente pessoas capazes de arcar com as próprias responsabilidades e de demonstrar atitudes e princípios éticos.
Como construir alunos maduros?
Causou recentemente um grande impacto nos Estados Unidos o livro Uma questão de caráter, do jornalista de educação Paul Tough, do New York Times. Ele chama a atenção para o peso da formação do caráter e de certas características, como a resiliência, ou seja, a capacidade de superar dificuldades e fracassos, para obter alunos diferenciados. Para o jornalista, é preciso mostrar também para os pais a importância de não proteger excessivamente os filhos dos problemas reais e das consequências dos fracassos. Somente formando nas capacidades socioemocionais, também chamadas virtudes, será possível desenvolver características que considera essenciais: otimismo, determinação, curiosidade, inteligência emocional, autocontrole, companheirismo.
O que são capacidades socioemocionais?
                A abordagem das competências socioemocionais desbrava caminhos pouco explorados na educação nas últimas décadas. A ideia não é criar um roteiro de comportamentos desejáveis, mas de ensinar a formar hábitos bons que facilitarão os alunos a conviver em sociedade e atuar de forma ativa e positiva na escola e na família. Depois da interiorização desses hábitos, a criança cria uma inclinação conatural para realizar mais facilmente as melhores escolhas, tornando-a virtuosa e feliz.
Como se faz isso?
                O educador David Isaacs define escola como “um projeto comum de melhora integral de pais, professores, funcionários e alunos”. Ele ressalta que se uma escola quer obter um resultado efetivo e global na educação de seus alunos é necessário que ela se preocupe antes com a formação dos que têm a responsabilidade de proporcioná-la. Por isso, é fundamental que a escola organize com certa periodicidade uma série de palestras para os pais, professores e funcionários, em horários que sejam compatíveis que suas obrigações profissionais, de maneira a gerar neles não só o zelo educativo, ou seja, uma preocupação com a formação integral da criança, mas também uma unidade mínima de princípios e valores éticos. Além dessa formação, é importante também disponibilizar alguns horários na grade de disciplinas – substitui-se a disciplina prevista para esse horário por uma palestra sobre virtudes, num esquema que não atrapalhe o trabalho dos professores – para dar uma formação sobre as capacidades socioemocionais para os alunos sobre uma temática que provoque uma reflexão sobre determinadas dificuldades que eles enfrentam habitualmente no mundo deles.  Além dessas palestras, é muito aconselhado que haja em paralelo um trabalho de apoio de tutoria, por parte de profissionais previamente preparados, que auxilie numa maior concretização dos desafios que as palestras provocam: como fazer na prática um horário de estudo, como saber o que estudar e como estudar, como controlar o celular, videogames e computador, como fazer novos amigos, entre outros. Em anexo, apresentamos o temário dessas palestras.
Quem faz isso?
                João Malheiro é mestre e doutor em educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisador autônomo do Grupo de pesquisa sobre Ética na Educação – GPEE-UFRJ. Tem mais de 30 anos de experiência nesta área de formação das capacidades socioemocionais e atualmente ele atua como consultor em algumas escolas na implantação de Projetos dessas capacidades socioemocionais. Ele tem um blog com diversas palestras filmadas para os pais, professores e funcionários (cfr.   escoladesagres.org). Esses projetos variam de acordo com os interesses e necessidades da escola. Para obter referências desse seu trabalho, pode-se procurar informações nas seguintes escolas:
Colégio Porto Real (4 anos de consultoria, 2012-2015) – http://www.colegioportoreal.org.br  ou  adrianna.abreu@colegioportoreal.org.br  (Diretora Geral)
Colégio Santa Mônica (3 anos de consultoria, 2013-2015) - http://santamonica.edt.com.br  ou  saula@colegiosantamonica.com.br (Diretora Geral de Ensino)
Colégio Monte Alto (1 ano de consultora, 2015) - http://www.colegiomontealto.org.br   ou  julianapiccini@hotmail.com (Diretora Geral)

Investimento
                O consultor deste projeto trabalha com duas modalidades: hora/escola ou pagamento por palestra. No primeiro caso, ele combina com a escola um número x de horas que ficará à disposição para dar palestras para os pais, professores, funcionários, alunos, treinar professores, tutores, etc em dias fixos pré-estabelecidos. No segundo caso, o valor da palestra dependerá da quantidade de palestras que a escola quiser oferecer, diminuindo seu valor de forma proporcional.


TEMÁRIO DE PALESTRAS:

                Os temas das palestras variam de acordo com o segmento e com o público-alvo. Todas elas foram sendo aperfeiçoadas ao longo destes anos de consultoria e o resultado tem sido muito satisfatório. Todas são em power point e se utilizam de filmes para consolidar os conceitos mais importantes.
Educação Infantil (por bimestre, para as professoras desse segmento)
1º bimestre – A virtude da ordem material e espacial
2º bimestre – A virtude da boa convivência: a ética do respeito
3º bimestre – A virtude da boa conduta e a beleza interior
4º bimestre – A educação nos limites, mas sem traumas
Fundamental I (por bimestre, para as professoras desse segmento)
1º ) A relação entre as 4 dimensões da virtude da ordem: espacial, temporal, afetiva e mental
2º ) A virtude do trabalho-esforço: ganhar gosto pelo estudo
3º ) A virtude da responsabilidade: assumindo os próprios deveres
4º ) A virtude da generosidade: a felicidade está em compartilhar.
*Observação: o ensino-aprendizagem das virtudes para essas faixas etárias orienta que mais do que uma informação sobre a teoria da virtude, o mais importante é a interiorização dos hábitos na criança desde dos primeiros meses de vida. Para que esse processo ocorra é necessário que os educadores repitam muitas vezes as mesmas coisas e ensinem a viver na prática a virtude com ações constantes na sala de aula, e com o próprio exemplo. No final dessas palestras se promovem oficinas entre as professoras para concretizar como aplicarão esse conteúdo no dia a dia escolar.

Fundamental II (por bimestre, para os alunos e os professores da disciplina)
1º) Como conseguir força de vontade no estudo e se organizar – filme depoimento de aluno
) O valor da amizade: aprender a conquistar novos amigos – filme Rei Leão
3º) Como descobrir o meu futuro e a motivação escolar – filme Clube do Imperador
4º) O desenvolvimento da rijeza e da capacidade de doação – filme A ponte

Observação: O ensino-aprendizagem das virtudes nesta faixa etária aconselha o recurso do envolvimento afetivo, como o cinema, para um maior interesse do conteúdo apresentado. Com o despertar da adolescência, as crianças ficam mais rebeldes e avessas a tudo aquilo que exija esforço e, além disso, são inclinadas a se fecharem em si mesmas, em atitudes evasivas e egoístas. Por isso, é preciso insistir nos hábitos de estímulo ao esforço, como a fortaleza e a perseverança, e de incentivo ao altruísmo e solidariedade, como a generosidade e amizade. Um investimento, nessas idades, em tudo aquilo que possa favorecer o fortalecimento do caráter trará resultados efetivos depois no ensino médio, pois os alunos terão mais capacidade intelectual e emocional, disciplina, motivação, ajuda mútua e concentração nos estudos, com melhores resultados no ENEM.

Ensino médio (por bimestre, para os alunos e professores da disciplina)
1º bimestre: Aprendizagem, retenção e generalização do conhecimento: como aumentá-las?
2º bimestre: As causas e as soluções do déficit de atenção em sala de aula e nos estudos
3º bimestre: Maturidade, identidade e motivação: um processo de conquista na liberdade do aluno
4º bimestre: A educação da afetividade: medos, inseguranças, indecisões sobre o futuro
Observação: No ensino médio, os alunos começam um processo de maior conscientização e de valorização dos estudos. Aos poucos vão percebendo que suas escolhas determinarão o seu futuro. Para alcançar esses objetivos, o Projeto de Virtudes aponta para palestras sobre virtudes que auxiliarão um maior desempenho escolar. Além disso, pretende ainda que os alunos percebam que depende muito mais deles do que da pressão do ambiente um bom resultado final.

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA OS PROFESSORES DO FUNDAMENTAL II E MÉDIO

                Muitos professores entram atualmente em sala de aula sem os conhecimentos necessários para poder educar de forma personalizada. Com o tempo, cansaço, rotina, pressão enfraquecem a vocação docente, acarretando consequências negativas para o bom desempenho profissional. O curso abaixo tem provocado profundas transformações em sua motivação escolar, como também existencial, diminuindo enormemente os desgastes físicos e psíquicos decorrentes.

Aula 1 -  O resgate das virtudes na formação pessoal e profissional
Aula 2 - O mapa das virtudes éticas e seu papel na maturidade profissional
Aula 3 – Educar no Encanto e o uso das novas tecnologias
Aula 4 – A Felicidade Humana e a pressão consumista
Aula 5 – A paixão pelo ensino: o que torna um professor ser realmente bom
Aula 6 – A liberdade humana: as falácias da sociedade pós-moderna
Aula 7 – A conquista da amizade: nós precisamos dos outros
Aula 8 – Os Temperamentos em Keirsey e a gestão de pessoas no ambiente escolar
Aula 9 – Inteligência emocional: aprendendo a administrar minha interioridade
Aula 10 – A administração do tempo: aprendendo a usar agenda e a render mais             
FORMAÇÃO PARA OS PAIS

Palestra 1: A importância da presença dos pais nos primeiros anos da vida escolar
Palestra 2: Como harmonizar carinho, proteção e exigência na educação dos filhos
Palestra 3: Educar com limites, mas sem traumas
Palestra 4: Como melhorar minha comunicação com o meu filho
Palestra 5: Educar na verdadeira beleza que atrai
Palestra 6: O verdadeiro bullying
Palestra 7: Como acompanhar melhor os estudos do meu filho
Palestra 8: Educar no encanto e os cuidados com as novas tecnologias
Palestra 9: O que os filhos esperam dos pais
Palestra 10: Família e escola: caminhando juntas nos mesmos objetivos educacionais     

Observação: Percebe-se algumas vezes no ambiente escolar uma falta de harmonia entre a “educação” que o aluno recebe em casa e a que a escola quer oferecer. Diante deste desajuste, é comum pais reclamarem das exigências e regras da escola, alunos se chocarem com determinadas medidas, professores se desgastarem com a falta de respeito, entre outras. Depois destas palestras, muitos pais voltaram a assumir o papel de protagonistas e primeiros responsáveis da educação.

FORMAÇÃO PARA OS FUNCIONÁRIOS

1º bimestre: O valor do serviço numa instituição de ensino
2º bimestre: A importância da prática das virtudes no ambiente de trabalho
3º bimestre: Os segredos da liderança e do bom ambiente de trabalho
4º bimestre: O que os filhos esperam dos pais

Observação:  muitos funcionários sentem-se desprezados pelos gestores e diretores, causando uma expectativa negativa no ambiente de trabalho. Notou-se uma melhora significativa no modo de se relacionar na escola e na qualidade de seu trabalho depois que os funcionários receberam essa formação. Muitos problemas de rendimento no trabalho profissional estão ligados à falta de informação sobre alguns cuidados necessários para o bem-estar físico e psíquico. Acredita-se que se poderá ajudar muito os funcionários a chegar antes que os problemas aconteçam. Naturalmente, uma melhora neste aspecto trará benefícios econômicos para a instituição.
            

Seguir por Email